Curso Metodologia da Alfabetização no Sistema Braille

É muito comum em nosso país, vermos que os alunos cegos apresentam, na maioria das vezes, grande defasagem idade série. Entretanto, isto não é
devido às dificuldades dos alunos em aprender, se não na falha do método de ensinar.

Para ensinar o Sistema Braille não basta ser uma pessoa cega com curso de formação de professores, pois nestes cursos, aprende-se a ensinar para alunos videntes, e não para alunos cegos. Portanto, é um grande equívoco pensar que só porque é cega, uma pessoa vai saber ensinar o Braille. Isto não basta. É preciso conhecer as questões metodológicas para facilitar seu
ensino aprendizagem.

Assim sendo, este curso é destinado àqueles professores formados, cegos ou não, que desejem atuar no ensino do Sistema Braille.

Pré-requisito: Possuir pleno domínio de leitura e escrita no sistema Braille

Programa:

Aspectos importantes que influem na aprendizagem da criança deficiente visual.
A criança cega ante o processo de alfabetização.
Expectativas ou justificativas dos pais e professores no que diz respeito às capacidades da criança deficiente visual.
Atitudes e sentimentos dos pais em relação a seu filho cego.
Pré-requisitos para alfabetização em Braille.
Aquisição de conceitos básicos.
Eficiência e acuidade sensoriais.
Maturidade nas áreas cognitiva, psicomotora e sócio-afetiva (fase preparatória).
Avaliação diagnóstica das habilidades requeridas para a alfabetização em Braille.
Avaliação das habilidades do educando através de atividades com objetos, formas geométricas, linhas em relevo e caracteres em relevo.
Linhas pedagógicas: construtivismo / interacionismo.
Princípios básicos que orientam a prática pedagógica de um programa de alfabetização.
Planejamento do trabalho pedagógico.
Formulação de objetivos.
Seleção de material comum e especializado, necessário ao trabalho.
Organização do espaço físico.
Promoção do conhecimento lingüístico.
Avaliação das dificuldades e dos êxitos durante o processo de alfabetização.
Métodos usados no processo de alfabetização (processos sintético e analítico)
Criar atividades objetivas para atender os conteúdos propostos.
Utilização de cartilhas padronizadas e de textos produzidos em sala de aula, no processo de alfabetização.
A literatura na sala de aula: a busca de novos caminhos quanto à criatividade, criticidade e liberdade de expressão.
Avaliação do ensino-aprendizagem durante o processo de alfabetização.
Modalidades de avaliação: diagnóstica, formativa, somativa e fichas de avaliação.
Estratégia:
Trabalho de grupo - adaptação de textos e cartilhas para o Braille.
Trabalho individualizado - fichas de observação, leituras.
Aulas teóricas e práticas com demonstração de material especializado.